Artigos

Compartilhe

Liderança Pastoral

Na Rocha - 4


Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha
(Mateus 7.24 – NAA).

Jesus deixou claro que existem duas maneiras que podemos construir nossa casa: sobre a rocha, ouvindo e praticando suas palavras, ou sobre a areia, ouvindo-as, porém não praticando-as. Disso dependerá se a casa ficará firme ou cairá diante das adversidades que se apresentam. Do Sermão da Montanha (capítulos 5 a 7 de Mateus), observam-se alguns contrastes bem claros que nos ajudarão a discernir o que é rocha e o que é areia. Vejamos alguns:

Tesouros na terra são areia; tesouros no céu são rocha. Onde estiver o seu tesouro, aí estará também o seu coração (Mateus 6.21 – NAA). Aquilo que mais valorizamos, mais sonhamos, mais desejamos é exatamente o que move nosso ser. Somos o que amamos! Adoramos quem amamos! Não há dúvidas de que nosso coração está onde está o nosso tesouro. Amar os tesouros deste mundo é areia. Amar os tesouros dos céus é rocha. Surge a pergunta que não quer calar: Quem você ama? Onde está o seu maior tesouro?

Ponto de vista do mundo é areia; ponto de vista do céu é rocha.  Os olhos são a lâmpada do corpo (Mateus 6.22 – NAA). Jesus afirma que tudo está no olhar. A vida é uma questão de ponto de vista, opinião, perspectiva, visão. Se o olho é bom, todo o corpo será cheio de luz. Mas se o olho for mau, o corpo será cheio de trevas. Nesse caso, seria melhor arrancá-lo (Mateus 5.29; 18.9). Difícil, não é? Em outras palavras: como você vê a vida determina se você está em luz ou não.

Avareza é areia; generosidade é rocha. Vocês não podem servir a Deus e às riquezas (Mateus 6.24 – NAA). Martin Lindstrom revelou uma pesquisa da neurociência que mediu a atividade cerebral com o seguinte resultado: as áreas de atividade cerebral ativadas quando a pessoa é estimulada a marcas e produtos de desejo de consumo é exatamente a mesma de quando é submetida a imagens de fé, como a cruz e a Bíblia. Segundo esse estudo, podemos concluir que a adoração da riqueza concorre na mesma área de nosso cérebro com a adoração a Deus (Mateus 6.24). Quando nossa mente se ocupa de um, desocupa-se do outro.

Ansiedade é areia; confiança é rocha. Busquem em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas lhes serão acrescentadas (Mateus 6.33). Jesus sempre desejou resgatar o significado mais profundo e elevado do ser humano. Ele percebia claramente que a visão das pessoas estava muito baixa, buscando somente coisas pequenas. Comer e se vestir são necessidades importantes, sim, porém há muito mais desenhado por Deus para que o ser humano alcance sua relevância e importância na história.

Vamos, pois, plantar nossa vida sobre a rocha.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também
Na Rocha -3
Na Rocha -2
Na Rocha -1